O Salário do Medo (2024) Filme no Netflix: E os clássicos do cinema também se atualizam

O Salário do Medo é um filme francês dirigido por Julien Leclercq, estrelado por Franck Gastambide e Ana Girardot.

“O Salário do Medo” é um filme baseado no romance de Georges Arnaud, que, como você deve saber, já teve uma adaptação anterior, de 1953, dirigida por H.G. Clouzot, que se tornou por mérito próprio um clássico do cinema francês e um dos melhores thrillers da história do cinema.

Nesses tempos, Julien Leclercq se atreve a fazer uma nova versão da mesma história, modernizando-a e mudando completamente o estilo e tentando manter a tensão dos personagens nesta história modernizada, não estamos totalmente certos se para melhor.

Sempre é um risco se comparar com um clássico, mas aqui Julien Leclercq teve a coragem de tentar.

Enredo

Para salvar uma vila em uma operação de extração de óleo, quatro pessoas terão que escoltar um comboio carregado de nitroglicerina em um lugar inóspito, cercado por bandos armados.

Sobre o filme

“O Salário do Medo” se torna, se não vimos o primeiro, simplesmente um thriller comercial, mais ou menos bem feito e com um toque claramente “macarra”: algumas cenas de ação não necessariamente justificadas pelo roteiro, explosões e muitos personagens durões, dirigindo caminhões e carregando armas de fogo.

Sim, quase como um filme de ação de alguns anos atrás que, sem justificar muito o sentido das cenas, nos entretinha e nos fazia passar um bom tempo.

Se vemos dessa maneira, perfeito, é um filme divertido (apenas isso) no qual quatro belíssimos protagonistas (eles e ela) nos oferecem entretenimento cheio de tensão, ação e espetáculo.

Os atores fazem um bom trabalho considerando que estão cientes que, com esses diálogos e este enredo, ninguém vai ganhar nenhum prêmio em lugar algum: é um filme de ação e aqui o mais importante é se mover rapidamente e não atrapalhar a ação com gestos de dramatismo excessivo do que brilhar como atores ou atrizes. Simplesmente, eles não podem nem devem nem tentar.

Bom trabalho de direção e edição: “O Salário do Medo” é uma versão mais moderna que não quer arriscar inventando nada, e nos oferece um espetáculo quase de fogos de artifício que, embora não empolgue, nos satisfaz. Bom na produção e em tudo técnico.

“O Salário do Medo”: Prós e contras

O bom: divertido, bem produzido e um thriller de ação que prende, entretém e é perfeito para uma noite de sexta-feira.

O mal: as comparações nem sempre são boas companheiras, e nesta ocasião (e se formos cinéfilos), o tratamento do roteiro perdeu muito em relação à primeira versão.

Nossa opinião

É sexta-feira e “O Salário do Medo” é todo um filme para a sexta-feira: ação, tensão e uma história intensa para viver durante uma hora e meia.

Que, dependendo de como chegamos à cama, talvez sejamos incapazes de lembrar.

Aproveitem.

Onde assistir “O Salário do Medo”

Netflix

O elenco

Franck Gastambide
Franck Gastambide

Franck Gastambide

Franck Gastambide é um ator, diretor e roteirista francês que fez seu nome no setor de entretenimento. Ele nasceu em 31 de outubro de 1978, em Melun, na França, e cresceu no subúrbio de Le Mee-sur-Seine. Gastambide começou sua carreira de ator no início dos anos 2000 com pequenos papéis em filmes franceses como “RRRrrrr!!!” e “OSS 117: Cairo, Nest of Spies”. No entanto, ele ganhou reconhecimento por seu papel como Francky no filme de comédia de sucesso “Les Kaïra” (Os Perdedores), que ele também escreveu e dirigiu. O filme foi um grande sucesso de bilheteria e foi aclamado pela crítica. Desde então, Gastambide continuou a trabalhar em vários projetos, tanto na frente quanto atrás das câmeras. Participou de vários filmes, como “Pattaya”, “Taxi 5” e “La casa de papel” (Money Heist). Ele também dirigiu e co-escreveu filmes como “La surface de réparation” (O grande sucesso), “Artichauts et Caramboles” e a aguardada sequência de “Les Kaïra”. Além de seu trabalho no cinema, Gastambide também é conhecido por seu talento cômico. Ele já fez shows de stand-up comedy em toda a França e foi elogiado por sua inteligência e humor.

Ana Girardot
Ana Girardot

Ana Girardot

Ana Girardot é uma atriz francesa que cativou o público com suas habilidades versáteis de atuação e beleza natural. Ela nasceu em 1º de agosto de 1988, em Paris, na França, filha de Hippolyte Girardot e Isabel Otero, pais atores. Por ter crescido em uma família de atores, não é de se surpreender que Ana tenha desenvolvido um amor pelas artes desde muito jovem. Ela frequentou aulas de teatro na prestigiada escola de atuação Cours Florent, em Paris, antes de estrear no cinema em 2009 com um pequeno papel no filme “Les tricheurs”. No entanto, foi seu papel de destaque como a melhor amiga de Adèle Exarchopoulos no filme aclamado pela crítica “Azul é a Cor Mais Quente” que trouxe Ana para os holofotes. Seu desempenho recebeu muitos elogios da crítica e a consolidou como um talento promissor no setor cinematográfico francês. Desde então, Ana estrelou vários filmes franceses, como “Lights Out”, “Next Time I’ll Aim for the Heart” e “I Am a Soldier”. Ela também trabalhou com diretores renomados, como Claude Lelouch e Bertrand Tavernier.

Alban Lenoir
Alban Lenoir

Alban Lenoir

Alban Lenoir é um ator francês conhecido por suas atuações cativantes no cinema e na televisão. Nascido em 16 de setembro de 1985 em Paris, França, Lenoir desenvolveu uma paixão pela atuação desde muito jovem. Ele frequentou a prestigiosa escola de teatro Cours Florent em Paris, onde aprimorou suas habilidades e iniciou sua jornada para se tornar um ator de sucesso. A carreira de Lenoir decolou em 2009, quando ele conseguiu um papel no filme dramático francês “Mia et le Migou”. Em seguida, participou de programas franceses populares, como “Les Bleus, premiers pas dans la police” e “Section de recherches”. No entanto, foi seu papel de destaque como Maxime Delcourt no drama policial francês de sucesso “Braquo” que lhe rendeu amplo reconhecimento e aclamação da crítica. Desde então, Lenoir estrelou vários filmes e programas de TV, demonstrando sua versatilidade e variedade como ator. Ele também trabalhou com diretores aclamados, como Luc Besson e Cedric Jimenez. Em 2016, Lenoir recebeu um prêmio de Melhor Ator no Festival Internacional de Cinema de La Rochelle por sua atuação no filme “Nocturama”.

Diretor: Julien Leclercq

O Salário do Medo (2024) Filme no Netflix: E os clássicos do cinema também se atualizam
Julien Leclercq

Julien Leclercq é um diretor de cinema e roteirista francês que ganhou reconhecimento por seu trabalho nos gêneros de ação e suspense policial. Nasceu em 23 de fevereiro de 1973, em Saint-Denis, França, e foi criado em uma família da classe trabalhadora. A paixão de Leclercq pelo cinema começou ainda jovem, e ele começou a fazer curtas-metragens com seus amigos usando uma câmera Super 8. Depois de concluir seus estudos em Produção Audiovisual na École Supérieure de Réalisation Audiovisuelle (ESRA), Leclercq trabalhou como assistente de direção em vários filmes franceses. No entanto, ele logo percebeu que queria contar suas próprias histórias e decidiu se aventurar na direção e no roteiro. A grande chance de Leclercq veio em 2006, quando ele escreveu e dirigiu seu primeiro longa-metragem, “Chrysalis”. O thriller de ficção científica foi aclamado pela crítica e ganhou vários prêmios em festivais como o Fantastic’Arts Film Festival. Esse sucesso colocou Leclercq no mapa como um dos diretores mais promissores da França. Ele continuou a dirigir vários filmes de sucesso, como “The Assault”, baseado em fatos reais que ocorreram durante um ataque terrorista em Paris em 1994. O filme foi indicado a quatro prêmios César, incluindo o de Melhor Diretor para Leclercq.

Martin Cid
Martin Cid
Escritor, fumante de cachimbo e fundador da MCM
Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Artigos mais recentes